quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

A escola precisa transformar-se cada vez mais em laboratório




Entrevista com Prof. Fernando Becker

IHU On-Line – A partir dos ensinamentos de Piaget e Paulo Freire,  é possível pensar em melhorias para a escola pública? Quais as sugestões dos autores para essa mudança?

Fernando Becker - A escola pública tem muito a aprender e a mudar. A coisa mais fundamental dessa aprendizagem é o seguinte: não se aprende porque se repete. Mas repete-se porque se aprendeu. A repetição só é legítima quando se compreendeu um conteúdo qualquer. A escola continua cometendo esse equívoco de achar que a repetição, por si só, produz aprendizagem, mesmo quando se repete algo que não se compreendeu. Esse equívoco custa muito caro, pois despende as preciosas energias dos alunos que poderiam agir, cada vez com mais autonomia, sobre os conteúdos, potencializando sua aprendizagem, e do professor que as despende com arroubos disciplinares – controle de comportamento –, pois os alunos não suportam repetir o que não lhes faz sentido. Por outro lado, a verdadeira aprendizagem escolar deveria visar o aumento da capacidade de aprender, tão importante nos dias atuais, em não apenas acumular conteúdos; conteúdos freqüentemente inúteis.

Além disso, a escola pública poderia pensar em tentar conjugar, na prática pedagógica e didática, outros verbos, além do verbo repetir, para redefinir sua função didático-pedagógica: fazer, compreender, criar, inventar, sentir, abstrair, experienciar, transformar, desafiar etc. E, inspirada no pensamento de Paulo Freire, conjugar verbos como buscar, indagar, intervir, escutar, dizer, falar, pensar, perguntar, dialogar, mudar, transformar, pesquisar, conscientizar-se, refletir a prática, ousar o novo etc. Só isso já provocaria uma mudança de perspectiva.

IHU On-Line – Qual é a contribuição da obra de Piaget para o estudo da socialização, do simbolismo e da afetividade humana? Em que sentido isso se relaciona com a educação?

Fernando Becker - Além de ter sido professor de Sociologia, na Universidade de Genebra, Piaget escreveu Estudos sociológicos. Nesse livro, afirma que a sociedade não é a soma de todos os indivíduos, mas a soma de todas as relações entre todos os indivíduos. Podemos tirar daí uma conclusão no mínimo perturbadora para o educador: a enorme responsabilidade, positiva ou negativa, que recai sobre o indivíduo enquanto sujeito de relações, no interior de uma sociedade.
Além de várias obras geniais, Piaget escreveu uma que por si só poderia dar-lhe o título de gênio: A formação do símbolo na criança: imitação, jogo, sonho, imagem e representação (3. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1978). Lamentavelmente, Vygotski  não conheceu essa obra magistral, pois morreu doze anos antes de sua publicação. Acredito que, se ele tivesse conhecido essa obra, teria se transformado num admirador incondicional de Piaget.

Piaget escreveu também vários textos sobre psicanálise, abordando a questão da afetividade humana, que ele considera a energética das estruturas cognitivas. Sua teorização tem o poder de unificar as duas grandes dimensões constitutivas do sujeito: a cognição e a emoção.

Todos esses aspectos relacionam-se direta e intimamente com a educação. Na medida em que a educação age diretamente sobre a capacidade ativa dos indivíduos, ela redesenha o mapa das relações entre os indivíduos, refazendo o mapa das relações sociais, relações simbólicas constituídas no seio das culturas e, como tais, carregadas de afetividade ou emoção. Ou seja, ela poderá reconfigurar a cultura e a sociedade. Uma educação assim pensada, à base do pensamento de Piaget, fará surgir indivíduos autônomos cujas ações desafiarão a sociedade a produzir, nela mesma, profundas transformações.

IHU On-Line – O senhor disse certa vez que os professores precisam perceber que nada de significativo irá acontecer enquanto eles não romperem com as concepções de conhecimento e de aprendizagem que vigoram nas escolas. O senhor já percebe uma mudança de paradigma positiva nesse sentido? Quais os grandes desafios dos professores do século XXI?

Fernando Becker - Com certeza, a escola tem produzido transformações significativas nessas duas últimas décadas. É claro que estamos muito distantes dos sonhos que sonhamos. Mas os sinais são animadores. E a quantidade de pesquisas feitas em nossos mestrados e doutorados em educação, nas mais diferentes áreas de conhecimento, e as iniciativas transformadoras de práticas escolares que ocorrem em muitos lugares, em todos os níveis de ensino, constituem marcas muito claras de que há algo acontecendo.

O grande desafio do século XXI, pelo menos do início deste século, é o de transformar o ensino na medida do processo de aprendizagem, e esta na medida do processo de desenvolvimento do conhecimento humano. A atividade da escola deve transformar-se a partir do princípio de que o aluno é um centro de atividade, e não um receptáculo vazio a ser preenchido de conteúdos, freqüentemente sem sentido. Simplificando, a escola precisa transforma-se cada vez mais em laboratório, e ser cada vez menos auditório. Os agentes dessa transformação são, em primeiríssimo lugar, os professores. Isso demanda uma formação docente de grande envergadura. O professor precisa aprender a ensinar pela atividade do aluno. O aluno que não age sobre um conteúdo qualquer, não consegue aprender esse conteúdo, muito menos transformar sua capacidade de aprendizagem, ampliando-a. Isto é, uma escola ativa não só ajuda o aluno a aprender, mas a se desenvolver, isto é, a aumentar sua capacidade de aprender; ou, como lembra Piaget, a aprender a aprender. Aliás, Piaget tem muito a dizer para esse processo de formação docente.

Becker é graduado em Filosofia, pelas Faculdades Anchieta de São Paulo, e especialista em Lógica e Metodologia Científica, pela Unisinos. Na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), cursou mestrado em Educação, e, na Universidade de São Paulo (USP), concluiu doutorado em Psicologia Escolar e do Desenvolvimento Humano



15 comentários:

  1. Sempre é tempo de mudar e para a melhor...
    Aos poucos eu acredito em avanços eficazes e permanentes para a EDUCAÇÃO.
    Uma EDUCAÇÃO transformadora.
    Abraços, Atena...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tenho certeza que você pensa assim, Malu. É uma professora de "mão cheia" e com garra. Não é do tipo acomodada. rsrs
      beijos

      Excluir
  2. Boa tarde Atena,
    boa tarde Malu!!!
    Vindo conhecer o blog, através do link da Malu e me deparo com ótima reportagem sobre o educar.
    Pensando, reformulando e incentivando nossos alunos a serem críticos poderemos chegar a uma educação realmente de qualidade.
    Tenham dias felizes...
    Bjokas...da Bia!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pela presença, Beatriz.
      Sim, é preciso fazer alguma coisa para melhorar o ensino no Brasil e formar estudantes que saibam pensar e não só repetir feito papagaios.
      abraços

      Excluir
  3. O problema da educação é que todos a maioria dos educadores se rresignou a receber seu salario no final do mês, perderam a vontade, o amor, a apaixão pelo que fazem. E assim deixam de lutar por uma educação mais eficiente, mais pratica e mais amorosa. Bjos achocolatados flor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sandra;
      Eu acredito que ainda existam muitos bons professores. Posso citar a querida Malu que aqui participa. Agora, se o salário dos professores fosse melhor, acho que a situação também melhoraria.
      Obrigada pela visita e abraços

      Excluir
  4. Também acredito que podemos melhorar sempre. Um professor comprometido com a educação deve buscar se qualificar, se atualizar. Pois só assim será possível transformar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. olá:
      Toda pessoa que ama o que faz tem condições de melhorar sempre.
      Obrigada pela visita e abraços

      Excluir
  5. Muito bacana mesmo!
    Adorei!
    Beijos
    Chris
    http://inventandocomamamae.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Chris.
      Seja bem vinda e volte sempre.
      abraços

      Excluir
  6. Malu,
    eu sou apaixonada pela educação infantil me tenho magistério e pedagogia, acho que a educação nas escolas públicas tem muito que inovar, os alunos em geral ficam com a mente vazia.
    Acho que muitos professores visão mais o dinheiro, acham que ganham pouco e ficam com preguiça de ensinar o que aprendeu.
    Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina. (Cora Coralina)
    Eu amo ensinar e aprendo mais do que ensino, a vida é um constante aprendizado!

    Amei a sua postagem vou imprimir!
    bjs
    Andréa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Andréa, os profissionais que atuam na EDUCAÇÃO e que nunca perdem as esperanças sempre pensam em algo para renovar e transformara a escola em algo de qualidade, sempre... Também gostava muito de ensinar. Hoje estou fora das salas de aula, mas creio que as pessoas ainda envolvidas com o sistema EDUCACIONAL querem o melhor para o ENSINO!!!
      Obrigada por vir...
      Abraços

      Excluir
  7. Olá Boa noite, querida amiga
    De volta aos trabalhos o tempo fica curto para visita os blogs amigos ,mas como sinto saudade de você venho com um recadinho pronto, para deixar você sorrindo e feliz.
    ♥Não
    . ♥tenho
    .. ♥nada
    .... ♥pra
    ...... ♥fazer
    ....... ♥aliás
    ........ ♥tenho
    ...........♥muita
    .............♥coisa
    ♥mas
    ..♥não
    ....♥tô
    ......♥a fim
    ........♥de
    ..........♥fazer
    ............♥então
    ..............♥vou
    ♥encher
    .♥o seu
    ..♥blog
    ...♥de
    ....♥palavras amigas
    .....♥dofundo
    .......♥ do meu
    ........♥coração
    ..........♥trago pra você querida seguidora
    ♥Bjs
    .♥ABRAÇOS
    ..♥CARINHOS
    ....♥AMOR
    .....♥PAZ
    .......♥LUZ
    .........♥SORRISOS
    ..........♥que
    ............♥você
    .............♥seja
    ...............♥muito
    .................♥feliz
    ...................♥ se não gostar desse recado,

    ..♥desculpe
    ...♥pensa
    ....♥pelo
    .....♥lado
    ♥bom
    ..♥hoje
    ...♥eu
    ....♥lembrei
    .....♥de
    .......♥VC!
    Que a “Felicidade” sequestre “Você“
    e que ninguém possa pagar o “Resgate“!!!
    Só para “Você“ viver
    “Eternamente Feliz"

    ResponderExcluir
  8. Grata por vir e deixar seu carinho, Professora Lourdes.
    Abraços

    ResponderExcluir
  9. “ENCONTRO COM A ACADEMIA”

    A Academia Machadense de Letras realizará durante suas reuniões, o “Encontro com a Academia”.
    Este acontecimento tem como objetivo, a interação e divulgação das manifestações culturais, através de debates com membros da nossa cidade e região.

    Contatos:
    Carlos Roberto de Souza
    machadocultural@gmail.com
    (35) 3295-6106
    (35) 8833-9255


    Você gostaria deter seu texto (poema, conto, prosa, ensaio, matérias de cultura em geral, biografias de bandas, artesanato, turismo, artes plásticas, saúde, vida, sociedade...etc) no blog FANZINE EPISÓDIO CULTURAL?
    Envie seu texto com uma foto sua ou uma imagem relacionada ao texto para machadocultural@gmail.com

    Acesse o blog:
    HTTP://www.fanzineepisodiocultural.blogspot.com

    maluccat@hotmail.com; flaviamariath@hotmail.com

    ResponderExcluir